quarta-feira, 4 de maio de 2011

DIFERENÇA TÉCNICA - Por Rodrigo Curty

E o Brasil já garantiu um time nas quartas-de-final da Libertadores. Trata-se do Santos. O time de Vila Belmiro é outro pós Muricy Ramalho. Se anteriormente com Adílson Batista e Marcelo Martelotte, os torcedores não gostavam da postura da equipe, principalmente na parte defensiva, com o o atual campeão brasileiro a história é outra.

Para você ter uma ideia, a dupla de zaga santista formada por Durval e Edu Dracena, desde a chegada de Muricy já não é tão criticada. Nos oito jogos, contando com o de ontem contra o América-MEX , o Peixe levou apenas dois gols. É certo afirmar que os times comandados por Muricy são mais bem postados do que simplesmente defensivo. Cada jogador atua em sua função, ou seja, a zaga que antes muitas das vezes atuava na sobra, hoje joga mais posicionada. Assim, a lentidão dá lugar a qualidade de marcação. Isso sem falar do apoio que é dado pelos volantes ora Arouca, ora Danilo, e principalmente por Elano, arma fundamental para contra-ataques puxados por Neymar, e às vezes por Ganso.

A diferença técnica da equipe da Vila também foi sentida no gol. Bastante criticado, o goleiro Rafael parece ganhar a cada jogo mais confiança. Muricy é mestre nisso. No Fluminense, por exemplo, no ano passado bancou Ricardo Berna na reta final do Brasileirão, e o goleiro segue dono absoluto da 1 tricolor. Ontem Rafael brilhou no México. Em disputa com o atacante Reyna, foram pelo menos três excelentes defesas e vaga garantida.

Parabéns ao Santos pela evolução técnica. Mas é bom ter os pés no chão, pois o cansaço pode fazer toda a diferença nas finais do Paulista contra o Corinthians, e nas quartas da Libertadores, provavelmente contra o excelente Cruzeiro. Será que os "meninos da Vila" terão força pra suportar a sequência da maratona? Eu aposto que sim.

Até a próxima!!