sexta-feira, 25 de maio de 2012

SOBERANIA MANTIDA - Por Rodrigo Curty

E ontem mais um brasileiro se garantiu nas semifinais da Copa Santander Libertadores. Se na quarta-feira, o Corinthians passou adiante na base do sofrimento, agora foi a vez do torcedor do Santos sentir este estado de espírito.
O Peixe sempre buscou o gol, mas o Vélez Sarsfield foi muito bem taticamente. Marcando os principais jogadores da Vila, e com a frieza e catimba que já de costume argentino, a partida seguia sem gols. Neymar buscou o jogo o tempo todo, foi provocado, fez muita falta, e como na maioria das vezes se impôs. No final do primeiro tempo, o craque recebeu falta do goleiro Barovero, que acabou expulso.
Na segunda etapa, o Santos voltou mais objetivo e teve mais chances de abrir o placar, mas esbarrava no goleiro Montoya. O tempo passava, o desespero aumentava, e Kardec resolveu. Minutos antes do gol do atacante, o mesmo havia perdido o chamado gol feito. Não interessa, o que valeu para os santista foi a oportunidade de decidir a vaga nas penalidades. O Santos foi frio e venceu os argentinos por 4x2, com direito a Rafael pegar uma cobrança. Parabéns aos meninos da Vila, que mesmo uma hora ou outra sendo derrotados, mentiveram a soberania. 
Agora o duelo será eletrizante. Santos e Corinthians medirão forças. No retorspecto geral, a vantagem é do Timão, mas na competição quem manda é o Peixe. O confronto merece atenção. Houve equilibrio durante as fases anteriores, mas o alvinegro da capital não perdeu nenhuma partida e só levou dois gols. O sonho se se consagrar campeão da América é cada vez mais real, porém os pés não podem sair do chão.
No Santos, as coincidências também ajudam. Se o time foi Bicampeão em 62/63 contra uma equipe argentina, neste ano a história pode se repetir. Na Era Pelé, nas semifinais, antes do Bi um alvinegro pelo caminho, o Botafogo. Na final o adversário era o Boca. Boca este que encara na outra semifinal o belo time da LaU. Faça a sua aposta, eu que não costumo ficar em cima do muro, sinceramente, desta vez prefiro não arriscar, mas quem sabe mais pra frente?
Até a próxima!