domingo, 23 de junho de 2013

QUEM É O CARA? - Por Rodrigo Curty

E lá se foi a primeira fase da Copa das Confederações. O Brasil ficou em primeiro no seu grupo. A campanha dispensa comentários. Foram três vitórias, em três jogos. 9 gols marcados e apenas dois sofridos. Aos poucos Felipão consegue o padrão esperado para a Seleção Brasileira.
A partida de ontem foi eletrizante. Ganhar da itália significou muito mais que os três pontos e a liderança, mas a certeza que aos poucos o torcedor confia no grupo. 
Se anteriormente a única Seleção campeã do mundo que havíamos vencido tinha sido a França reserva, passar pela Itália foi importantíssimo. A Azurra é uma equipe experiente e que leva poucos gols, mas ontem levou quatro e poderia ter sido até mais. 
O grande destaque da vitória mais uma vez foi Neymar. Porém, se os reservas fizeram diferença nas partidas contra Japão e México, ontem não foi diferente. Bernard entrou bem, Dante substituiu David Luis e foi bem. Saiu dele o primeiro gol, em jogada irregular. Isso deu moral para o baiano que jogava para seus conterrâneos. Na segunda etapa brilhou novamente o camisa 10. Neymar fez um belo gol de falta. O craque brasileiro está cada vez mais leve, confiante e maduro para ser destaque positivo no Barcelona. Muita gente ainda tem dúvidas sobre ele brilhar na Copa, pedem calma, e até com certa razão. Outro que taticamente fez boas partidas, mas que devia um gol, desencantou. Fred é um centroavante nato. O artilheiro do Fluminense guardou dois e promete ainda mais. O fato de não ter saído para entrada de Jô, que também conta com dois gols no torneio, mostra que ofensivamente estamos bem servidos. 
Algumas coisas ainda devem mudar esta nova família Felipão, mas por enquanto a disputa para ver quem é o cara da Seleção está em aberto. Para você quem é esse cara? Eu seleciono algumas sugestões: Felipão, Neymar, Julio Cesar, Marcelo, Paulinho e Fred. É aguardar para ver quem dará as caras na semifinal provavelmente contra a Seleção Uruguaia. É bom manter os pés no chão, respeitar e acreditar que os protestos nacionais influencie no verdadeiro campeão, que este saia realmente na bola.
Até a próxima!