domingo, 16 de fevereiro de 2014

CLÁSSICO É CLÁSSICO - Por Rodrigo Curty

O ditado de que clássico é clássico e vice-versa é bem antigo, e mesmo assim sempre é falado no dia que os mesmos ocorrem.Hoje é um destes dias.Torcedores das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte terão o privilégio de acompanhar possivelmente três grandes jogos. Possível, devido a quase certeza de também termos um fator negativo presente nestes jogos, a violência.
Infelizmente a rivalidade se estende fora dos gramados, seja pela falta de civilidade ou pelo desrespeito.Já passou mais do que da hora de cada um ter a tranquilidade de poder torcer para quem bem entender.
Mas por mais difícil que seja, vamos em frente para falarmos dos jogos.
Na capital paulista, o dérbi entre Corinthians e Palmeiras promete ser eletrizante. O alvinegro vive uma crise que parece interminável.Já são cinco jogos sem triunfar e uma pressão da torcida que pode se tornar ainda pior em caso de novo tropeço. O rival, por sua vez está rindo à toa. Já são 17 jogos sem saber o que é perder.A motivação de hoje, porém é pela quebra de uma escrita. No Pacaembu o alviverde não triunfa há 18 anos, sendo 11 partidas com sete derrotas para o alvinegro e quatro empates. A expectativa do palestrino é que a excelente fase do time, sobretudo de Valdivia e Alan Kardec quebre esse tabu. Do outro lado Jadson é a esperança de uma nova fase.Cássio e Renato Augusto voltam para colocar o time nos eixos. Faça a sua aposta.
No Rio de Janeiro, Vasco e Flamengo voltam a jogar no Maracanã. Foram quase quatro anos longe do principal palco carioca. O Cruzmaltino vive uma boa fase, terá a estreia de Douglas que chegou pedindo a 10 e que normalmente vai bem contra o Rubro-Negro, fora isso o elenco de Adilson Baptista querem se aproximar do líder Fluminense. No lado da Gávea, a expectativa dos comandados de Jayme de Oliveira, que vem de duas derrotas seguidas e desgastado da viagem do México é pela ótima oportunidade para espantar a crise. Promessa de grande duelo.
Por fim, em Belo Horizonte o duelo entre o último campeão da Libertadores e Brasileiro tem algumas diferenças sobre o restante do país. Lá a torcida dentro do estádio, no caso Independência será somente de atleticanos, uma vez que os cruzeirenses abriram mão de contar apenas com 10% da carga, e pela razões de violência.Nas campanhas, a Raposa vai bem melhor. 10 pontos em 12 disputados, contra quatro do Galo, que se perder deve ter pressão em cima de Autuori.
O lado curioso de hoje é que esse grande clássico pode ser apenas o primeiro de muitos que poderemos ter no ano, uma vez que ambos disputam a Libertadores e também se enfrentarão no Brasileiro, provavelmente outra vez no Estadual e quem sabe na Copa do Brasil.Minas vai parar.
A minha torcida é para que a rivalidade siga apenas em campo e que a "educação" do torcedor possa de uma vez por todas ser predominante. 
Até a próxima!