quarta-feira, 10 de setembro de 2014

A VOLTA DO SOBERANO - Por Rodrigo Curty

E a abertura do 2º turno do Brasileirão, série A foi muito boa para dois tricolores, esperançosa para os times que brigam contra a queda e ruim para os que sonhavam em encostar no G4.
Nas primeiras partidas, o placar mínimo de 1x0 valeu e muito para o Grêmio que passou pelo Atlético PR e chegou a zona de classificação a Libertadores e ao Palmeiras que venceu o Criciúma e ficou fora da degola. Já o Figueirense empatou em 1 x1 com o Fluminense que cai pela tabela. 
O Coritiba é outro com Marquinhos Santos. Em casa, o Coxa Branca atropelou a Chapecoense por 3x0. Quem também fez três foi o Sport. Patric marcou todos os gols da virada contra o Santos, que fez com Thiago Ribeiro. E o Internacional? Pois é, o Colorado não empolga mais e, desta vez foi derrotado pelo Vitória por 2x0. Já o Flamengo perdeu a segunda seguida, mas uma vez com erro da defesa e por 1x0. Melhor para o Goiás que voltou a embalar uma boa sequência.
Apesar destes resultados e das surpresas, quem mais se deu bem na noite foi o São Paulo. O tricolor paulista encarou o Botafogo, em Brasília e em partida emocionante venceu por 4x2, após levar a virada do time carioca.
Aos poucos até os mais incrédulos são-paulinos acreditam no Déjà-vu. Sim, a lembrança de 2008 quando na ocasião o Grêmio remava de braçadas, o São Paulo teve uma recuperação impressionante e tirou a vantagem de 11 pontos. É claro que hoje a diferença para o líder Cruzeiro é de apenas quatro pontos, mas os mineiros encaram amanhã o lanterna Bahia na Arena Mineirão, logo, é praticamente impossível não pensar que a distância voltará a ser de sete pontos, mas no futebol tudo pode acontecer.
O fato interessante é que no domingo teremos o duelo entre o 1º e segundo colocado. E, em caso de vitória dos paulistas a diferença poderá ser de um ou na pior das hipóteses voltar a ser de quatro pontos.
De qualquer maneira a questão real é que o time mineiro hoje é o time a ser batido. Conta com um elenco, se não brilhante pelo menos homogêneo e acostumado a esse tipo de torneio. A Raposa está voando, tem gordura para queimar. Pode se dar ao luxo de tropeços inesperados, mas é bom não contar muito com isso.
O São Paulo que em outros tempo era chamado de Soberano, hoje retomou o belo futebol. Ao meu ver joga até com mais qualidade e beleza que o Cruzeiro, porém o que vale é a eficiência e alternâncias táticas. Muricy Ramalho definitivamente parece ter encontrado a fórmula do sucesso. Com um quadrado que conta com Paulo Henrique Ganso, Kaká, Alexandre Pato e Alan Kardec e, os seus dois volantes, Souza e Denílson bem posicionados e chegando de surpresa, a preocupação fica na defesa, pois essa sim é preocupante. Tudo bem que os laterais, que se transformam em alas até que o problema não é tão grave, mas no miolo de zaga, aí sim mora o perigo. Qualquer que seja a dupla, as falhas nas jogadas aéreas, saída de bola e afobação quando está sob pressão é evidente. Domingo será um excelente teste, afinal os mineiros adoram essa jogada treinada e principal da equipe.
Vamos aguardar o que vem por aí. O Cruzeiro terá força para se manter na frente até o fim? O São Paulo conseguirá amadurecer em seus defeitos? E os que correm por fora como Corinthians e a dupla Gre-Nal? Não merecem nosso respeito? Muita coisa vai acontecer, mas hoje sem dúvida se tivesse que arriscar, cravaria nos dois primeiros já que apresentam o melhor futebol.
Até a próxima!