sexta-feira, 19 de setembro de 2014

TIMÃO OU TIMINHO - Por Rodrigo Curty

A terceira rodada do returno do Brasileirão, série A, se encerrou com mais uma surpresa, ou melhor, nem tanto assim, afinal não é de hoje que o Corinthians tropeça contra as equipes consideradas pequenas dentro do seu estádio. Mas antes de entrar nos detalhes do tropeço, vale ressaltar a bela vitória do desfalcado Atlético MG sobre o Goiás, no Serra Dourada. Triunfo de 3x2. 
Na Arena Grêmio o reencontro do goleiro Aranha com a torcida tricolor foi novamente terrível. Mas cá entre nós, alguém esperava algo diferente? O goleiro foi um dos responsáveis pelo empate sem gols. 
Agora a partida na Arena Corinthians que estava cheia e com a Fiel na expectativa de ver um belo espetáculo. Fora isso, os corinthianos tinham certeza de que a partida serviria apenas para dar mais tranquilidade e moral ao time que encara o São Paulo domingo no mesmo local. 
Mas não foi bem assim. Os comandados de Mano Menezes até que começaram bem, abriram o placar cedo com um belo gol do jovem Malcom, mas os velhos erros e a pouca objetividade fizeram com que o time cedesse o empate para a Chapecoense, numa falha bisonha de Ferrugem. O jovem lateral marcou contra o patrimônio. A partida seguiu assim até o final. 1x1 dolorido e para muitos como o do adeus para a possibilidade de título. Será? Falta muito ainda, mas o Corinthians não embala e muito menos empolga.
Se você concorda com essa opinião, me ajude como explicar um time caro, experiente perdendo esses tipos de pontos? Ora, se pegarmos o Internacional como exemplo, teremos talvez a melhor resposta. Simples, é porque o torneio é fraco tecnicamente, os favoritos não conseguem se impor e deslanchar na hora H e, com exceção do Cruzeiro que tem fôlego e perde na hora certa, o resto é muito parecido.
O interessante na minha opinião e podem me cobrar, é que nessas últimas 16 rodadas não me surpreenderei de ver quem está em cima descendo e vice-versa. A diferença do 1º para o 2º e do 10º para o 17º é de sete pontos, por isso é bom as equipes não vacilarem e relaxarem na tal “gordura”.
Até a próxima!