segunda-feira, 25 de maio de 2015

TABELA ILUSÓRIA - Por Rodrigo Curty


E mais uma vez a rodada do Brasileirão, Série A ficou a desejar. Independente de terem sido apenas três rodadas, o fato é que o nível técnico ainda fica a desejar ou melhor, provavelmente ficará com essa dívida até o término da competição.
Como já é de costume, a cultura do torcedor brasileiro é cobrar ou colocar a culpa apenas nos treinadores. Assim se no campeonato passado tivemos 31 comandantes demitidos, e apenas com três rodadas já foram dois, será que o recorde será batido?
Eu ainda mantenho a minha opinião de que Corinthians, Internacional, Cruzeiro e Atlético MG encerrem entre os quatro primeiros e São Paulo e Santos corram por fora.
Já equipes tradicionais como Vasco, Fluminense, Ponte Preta e Grêmio devem ficar na gangorra até o final.
É sabido que nosso calendário é um dos piores do Mundo, e por causa dele, equipes que disputam a Libertadores, caso da Raposa e do Colorado sofram nas primeiras rodadas. Está claro que mesmo essas equipes possuindo um elenco B, que inclusive poderia ser o time titular de muitos participantes acabam tendo um planejamento comprometido, o que obriga o esforço maior para buscar as primeiras colocações mais à frente.
A classificação atual, que me perdoem os pernambucanos do Sport e os goianos do Goiás, mas sinceramente é ilusório. Não que não acredite nessas equipes, mas é porque a hora de aproveitar para ganharem fôlego é agora. Dificilmente ambas se mantenham no topo nas próximas dez rodadas, e podem me cobrar. O mesmo digo dos catarinenses e paranaenses. Chapecoense, Avaí, Joinville, Figueirense, Coritiba e Atlético PR para permanecerem na elite terão que vencer as partidas em casa e arrancar alguns pontos fora, principalmente entre eles.
Na parte de baixo, apesar de justo, vemos Cruzeiro e Flamengo. O primeiro em breve irá se recuperar. O segundo é uma incógnita. Sem padrão tático e equipe definida, além de rumores de necessidade de se reforçar, causa uma falta de comprometimento nítida. Jogador de futebol é carente de carinho e atenção e, no rubro-negro não é diferente. Luxemburgo na derrota para o Avaí não entrou com um time todo equivocado à toa. Foi para dar uma cutucada nos que sabem que estão fora do projeto. A questão é que o torcedor não aceita esse tipo de postura e o mesmo discurso após as derrotas de que o time está bem financeiramente, buscando reforços e que irá reagir.
O mesmo serve para o Palmeiras. O palestrino não quer mais saber de time em formação, insistência com Valdivia e cia. A ansiedade por títulos e voltar a ser respeitado é uma realidade. Oswaldo de Oliveira precisa de tempo, porém erra demais na escalação e na cobrança com alguns jogadores. O time tem uma postura óbvia e irritante. Eu até vejo o Verdão, assim como o Mengão com possibilidade de entrarem entre os sete times que brigarão por vaga na Libertadores, mas para isso será preciso mudar urgentemente a forma de jogar.
Temos ainda muita água para correr debaixo da ponte, nesse torneio que empolgará se muito nos clássicos e nas últimas dez rodadas. Então é bom ter paciência torcedor. A ordem é cobrar mais de seu time na Copa do Brasil, pois ali sim, é matar ou morrer e no Nacional saber que tudo pode dar certo, desde que não se crie na cabeça que por terem muitas rodadas, o time consegue se recuperar.
Até a próxima!