quinta-feira, 12 de novembro de 2015

EQUADOR SOBRA E É O ÚNICO COM 100% DE APROVEITAMENTO NA ELIMINATÓRIAS - Por Rodrigo Curty


As Eliminatórias Sul-Americanas seguem bem equilibradas. Nesse início o importante, principalmente para às equipes que não consideradas às favoritas. Esse é o caso, por exemplo do Equador.
Se antes da abertura da competição rumo à Copa da Rússia, Brasil, Argentina, Chile, Colômbia e Uruguai eram os cinco postulantes às vagas, após três rodadas o que se vê é outro cenário, pelo menos na liderança. O Chile era o líder e a Seleção que melhor se apresentou nas duas primeiras rodadas, mas isso até hoje. Depois eu conto, pois o Equador merece destaque.
Os equatorianos correm por fora. Apesar de ser muito cedo para cravar que farão frente às Seleções citadas acima, o fato é que hoje mais cedo provou, que em casa dificilmente será batida. O adversário da vez foi o Uruguai. A Celeste jogou bem, mas não suportou a pressão e a altitude de Quito. Acabou derrotada com justiça pelo placar de 2x1. O Equador é a única com 100% de aproveitamento. Para quem não lembra, na abertura, a equipe derrotou à Argentina por 2x0, em plena Buenos Aires. Olho neles!
Agora de volta ao Chile. A torcida não deve se preocupar, mas hoje veio a primeira decepção. Os Rojos receberam a Colômbia e não saíram do empate em 1x1. Detalhe é que se não fosse pelo goleiro Bravo, a história poderia ter sido outra. Os colombianos foram melhores e provaram que com James Rodríguez, a Seleção pode ir longe. Ainda hoje, a Seleção da Bolívia deixou a lanterna para à Venezuela. Ambas mediram força em La Paz e o time da casa venceu bem por 4x2.
E o Brasil? Pois é, a chuva não deu moleza para a Seleção Brasileira e nem para à Argentina. O gramado do Monumental de Nuñez virou uma piscina. O bom senso prevaleceu e a partida foi adiada para amanhã no mesmo horário, às 22h ( de Brasília). A rivalidade é enorme, os números de Dunga contra os Hermanos também. A partida é vista com dois lados. Se vencer a pressão será aliviada, se perder o treinador balança de vez. A torcida é para que Neymar jogue o mesmo futebol apresentado no Barcelona e que o time finalmente decole. É bom respeitar os donos da casa que também vão mal na competição. Reserva ou não, os maiores rivais devem entrar com pensamento de uma final. Promessa de um grande jogo.
Por fim, o Peru vai receber também amanhã o Paraguai. Com nenhum ponto, o time de Guerrero espera começar a rumar para às posições de cima. Os paraguaios, por sua vez, querem se manter no G4.  
Até a próxima!