sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

FLAMENGO ESTÁ PRÓXIMO DO DIA "D" - Por Rodrigo Curty


No dia 07 de dezembro, o clube mais tradicional do país conhecerá o seu novo presidente. Eduardo Bandeira de Mello, da chapa azul acredita na manutenção de seu trabalho por mais três anos. Na chapa verde, Wallim Vasconcellos promete investimento alto no futebol e fala em nomes de peso no clube. Por fim, na chapa branca, Cacau Cotta tem o objetivo de fazer o futebol voltar a ser referência, mas com investimento aparentemente mais baixos e com profissionais do clube.
A semana promete ser tensa e de promessas. O torcedor, conselheiro que fará parte da votação para o próximo triênio deve se atentar. Colocar a emoção à frente pode não ser a melhor saída. É preciso entender de fato os planos de cada candidato, dos vices e também o que se esperar nos próximos três anos como prioridade.
Aparentemente me parece que o atual presidente pensa em manter o que foi feito de positivo, o que convenhamos é óbvio. O Flamengo hoje consegue altos lucros em seus cofres e tende a conseguir bons parceiros, além de manter em crescente o plano de sócio torcedor.. Doa a quem doer, é impossível não aceitar que o clube hoje tem uma administração muito mais profissional que outrora. Por sua vez, o planejamento no futebol, assim como as escolhas e as expectativas não surtiram o efeito esperado. A promessa é por melhorias e acertos nas contratações, estrutura de trabalho e títulos. A maior preocupação é com os investidores. Quem chegaria para suprir a saída dos atuais? O marketing trabalha forte na busca de patrocinadores, mesmo que pontuais, mas ao mesmo tempo rentáveis.
As outras duas chapas vão para o mesmo caminho. Nem Wallim e muito menos Cacau pensa em abrir mão da parte financeira “mais saudável”, porém se colocam como torcedores e querem um Flamengo forte no campo para voltar a disputar de igual para igual em todas as competições. Prometem focar na base, na construção do estádio e reestruturação urgente do CT. O que não pode é prometer o que não poderá ser cumprido.
Nessa semana, por exemplo, a chapa verde prometeu que se vencer trará como comandante o estrangeiro Jorge Sampaoli, treinador da Seleção Chilena desde 2012. Este já afirmou que em nenhum momento pensou em deixar o cargo, talvez pelo fato de não poder mencionar nada até o fim das eleições. Pegou mal a declaração, pois dá a impressão de que a chapa verde lida com mentiras, o que não acredito, mesmo porque provaram o contato.
Mas as especulações não param por aí. Como se não bastasse o nome de Alexandre Mattos, diretor de futebol do Palmeiras também ventila forte na Gávea, mesmo com Rodrigo Caetano perto de renovar o seu contrato. A dúvida que fica é o investimento que não poderá ser muito alto e fora dos padrões atuais da política dos “pés no chão”, o que vai contra a promessa de manter o equilíbrio financeiro.
Especulações, promessas, jogadas políticas, aliados, personagens históricos, ídolos, enfim, nessa hora tudo pode para ilustrar e dar força a cada chapa, mas é bom que os candidatos entendam que o torcedor não é bobo e cobrará tudo que foi e será dito até o pleito.
O Flamengo nessa hora e sempre, será maior que tudo e todos que estarão à sua frente. Assim, mas vale uma política correta e justa do que uma fantasiosa e drástica.
Até a próxima!