terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

O NOVO PALMEIRAS ESTREIA NA LIBERTADORES - Por Rodrigo Curty

E hoje o Palmeiras estreia na Libertadores da América. O Verdão será o primeiro time brasileiro a entrar em campo. O adversário será a terceira força do futebol uruguaio. Trata-se do River Plate.
O jogo que será em Maldonado não terá um grande público e um novo Palmeiras. O campeão da Copa do Brasil terá uma equipe mais ofensiva no papel, porém sem um "elo" de ligação.
Marcelo Oliveira está ameaçado e não passa a confiança para a fanática torcida palestrina. O treinador, como sempre aposta no jogo no ataque, independente se ver sua equipe levar gols. Hoje a forçação, ao meu ver é uma invenção que tende a dar errado. 
Ora, basta entender que o Palmeiras, mesmo sem ser considerado um time forte conta com um elenco repleto de jogadores, são três por posição. Desta forma é muito importante que um time seja montado, mesmo na base das pressões. Mudar a todo momento um estilo de jogo ou um plantel de 11 é um tiro que pode sair pela culatra.
Hoje, para se ter uma ideia, Marcelo Oliveira mudou bem a equipe. A zaga não inspira confiança e se errar pagará caro no retorno ao Brasil. O meio-campo não terá um autêntico meia e sim atacantes mesclados com volantes. Caberá a Dudu fazer a função de fazer a bola chegar aos pés de Erik e Barrios. Três volantes estarão ao seu lado - Arouca, Thiago Santos e Jean, esse com a tendência a jogar como elemento surpresa.
Sinceramente, o treinador deve saber o que faz, mas por que não entrar com Robinho ou até mesmo Zé Roberto no meio, colocando Erik como opção no banco, Dudu na frente e o lateral esquerdo de origem Egídio?
Dependendo do que acontecer no primeiro tempo, algo me diz que ele fará essas possíveis substituições. Se estiver na frente então, deve mudar o sistema de marcação e jogar na base do erro do adversário para aumentar a sua vantagem.
O torcedor deve ter paciência e jamais esquecer que nesse torneio, os times não são bobos e vale mais os três pontos do que o risco de dar show e voltar com a derrota na bagagem.
Boa sorte a Marcelo Oliveira e seus comandados.
Até a próxima!