quarta-feira, 28 de setembro de 2016

FLAMENGO É ELIMINADO DA SULAMERICANA - Por Rodrigo Curty

A bola rolou pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Os brasileiros com exceção de Santa Cruz, eliminado pelo Independiente de Medellín (Col), mesmo vencendo por 3x1, com três gols de Grafitte. (perdeu o primeiro jogo por 2x0 e levou um gol fora) e Flamengo se deram bem. 
 

Já entro no jogo do time carioca, antes vale o registro da classificação da Chapecoense contra o Independiente da Argentina nos pênaltis por 5x4, após novo empate sem gols e do Coritiba que devolveu a derrota de 2x1 para o Belgrano e avançou também nas penalidades (3x4). Parabéns e boa sorte na próxima fase.
Agora o Flamengo. O Mengão mais uma vez decepcionou a sua torcida em uma partida internacional. Com a vitória de 1x0, no primeiro duelo no Chile contra a equipe do Palestino, tudo levava a crer que em casa, ou melhor em Cariacica, local que o time estava invicto, o rubro-negro venceria mais uma.
O Flamengo estava há oito jogos sem perder e não conseguiu ter o mesmo nível de atuação das partidas anteriores. O que se viu foi um time bem apático na primeira etapa. O cansaço não deve servir de desculpa só que contribuiu e bem para o revés chileno, mesmo com Zé Ricardo escalando uma equipe com seis jogadores reservas. 
Penso que o professor escalou de forma errada o meio de campo. Cuéllar e Márcio Araújo não deveriam jogar juntos. Isso sem falar no óbvio de ter dois pontas para contra-ataques, o que não existiu. O time deveria entrar para definir já nos primeiros 15'. A falta de ousadia, preguiça, bolas alçadas na área ao invés de chutes de longa distância, além de atuar com o regulamento debaixo do braço custou caro. 
O Palestino fez 2x0 no primeiro tempo e na segunda etapa, após as mexidas do time carioca, apesar da pressão, mexidas com as entradas de Mancuello e Emerson Sheik conseguiu suportar e avançar às quartas de final, mesmo após o gol de pênalti de Alan Patrick que de certa forma incendiou mesmo sem organização tática A reação parou por aí. 

O lado bom da eliminação é que agora o excesso de viagens, riscos de lesões, mudanças táticas e equipe titular dá uma trégua.
O foco do Flamengo é o título do Brasileirão. O time tem um ponto a menos que o líder Palmeiras e uma tabela relativamente mais complicada. A expectativa é que a disputa será acirrada até o final e que no ano que vem, um torneio internacional seja encarado de uma forma mais focada e do jeito que a Nação gosta, do Flamengo mostrando a sua força contra quem quer que seja o adversário. 
Até a próxima!