segunda-feira, 6 de março de 2017

A GUANABARA FOI SÓ UM DETALHE - Por Rodrigo Curty

E mais uma vez o torcedor carioca pode acompanhar um belo clássico de futebol. O tradicional Fla x Flu foi eletrizante. Lembrou e muito os velhos tempos desse que é o duelo mais romântico do futebol mundial. A mística cor rubro-negra misturada com as tricolores que traduzem tradição se fez presente da maneira que jamais deverá deixar de ser.
Os rumores, preocupações com violência, discussões de jogo com torcida única e tal felizmente teve um final positivo. Ambos os torcedores entenderam que o futebol e a paixão é maior que qualquer que seja a ignorância dos que fazem de seu clube de coração uma facção de guerra. Está mais do que na hora de respeitar a liberdade de cada cidadão. É possível e necessário torcer em paz. Torcer pelo seu clube e não contra o do outro, esse é o caminho para relembrarmos os tempos áureos, em que havia apenas as gozações saudáveis. Viver intensamente um clássico no qual vence o que fez por onde e teve competência é um sonho ainda distante e sim, se tiver a boa vontade de todos voltará a ser constante.
O Flu x Fla foi maravilhoso e com todo respeito ao "Niltão", pena não ter sido no Maracanã. O maior palco carioca merecia ver essa final de Guanabara. O jogo foi limpo, jogado, sem violência, provocações e respeitoso dentro e fora das quatro linhas. O GEPE fez bem o seu papel, e pena que teve que ser assim. Garantia de segurança por uma equipe especializada que abriu mão da tranquilidade da população em setores mais importantes que um estádio de futebol é no mínimo lastimável. 
De qualquer maneira, no campo os quase 30 mil torcedores divididos entre mais flamenguistas que tricolores viram um duelo de seis gols com direito a dois vira-vira e no final uma disputa de pênaltis vencida pelo Fluminense por 4x2.
O Fluminense de Abel Braga merece os parabéns, assim como o time de Zé Ricardo. Qualquer um que levantasse a taça seria justo, mas o certo mesmo é que resultado pouco importou na tarde de futebol do Rio de Janeiro, afinal a apreensão foi trocada pela diversão, união e identidade carioca. Viva o futebol, viva a paz e que seja sempre assim. Que venha o segundo turno e as finais.
Até a próxima!