segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

UM TÍTULO JUSTO E CONTESTADO - Por Rodrigo Curty

Depois de quase sete meses de competição, o Campeonato Brasileiro, da Série A, conheceu o seu campeão. Em um total de 38 rodadas, sendo 380 partidas, foram marcados 1035 gols. Uma média de 2,7 gols por jogo.

Em um campeonato que teve de tudo, líderes se alternando, derrotas inesperadas, mudanças de elenco, técnicos e claro, erros de arbitragem, o que não mudou foi o campeão. Pela terceira vez seguida, o São Paulo levou a melhor, e de quebra conquistou o também inédito Hexa.

Hoje, muitos irão comentar que o inédito título foi injusto. Que o campeonato, apesar de ser o mais competitivo da “Era” dos pontos corridos foi medíocre. Que o tricampeonato foi conquistado, principalmente pela ajuda da arbitragem, como no último duelo, e por outros benefícios dados ao tricolor durante a competição. Que muitas equipes nesse ano foram ajudadas, mas ninguém como o São Paulo. Pode até ser verdade, mas não foi só isso que resultou na conquista.


Afinal, não se pode menosprezar a conquista de um time que mesmo longe de ser uma potência teve seus méritos. Como dizem – Os números não mentem jamais. Depois de um início repleto de empates, de lideranças folgadas como as de Flamengo e do Grêmio, a melhor equipe no novo formato, teve forças para dar a volta por cima e mudar um cenário que antes era o de “talvez” ficar fora da Libertadores e que acabou se transformando em título.

Independente dos vacilos das equipes consideradas melhores que o São Paulo, o tricolor foi batido apenas cinco vezes e teve o segundo melhor ataque com 66 gols marcados. Mas esses não foram os fatores decisivos. Podemos citar entre eles, o de se ter uma zaga firme, com a liderança de um inacabável goleiro. Um meio de campo que conta com jogadores, como Jorge Wagner que faz da bola parada uma grande virtude. Ou de Hernanes que brilhou e foi para mim um grande destaque do ano, junto com Ramires, do Cruzeiro, por exemplo. Não se pode esquecer de Hugo e Borges que durante o ano, foram até cogitados para deixar o clube. Mas graças à firmeza e credibilidade de Muricy Ramalho que comprou a briga, ambos acabaram ficando.

Parabéns a esse treinador que se iguala a Rubens Minelli, que também chegou a um Tricampeonato, mas em equipes diferentes - Pelo Internacional em 75 e 76, e no próprio São Paulo em 77.

Ficou provado mais uma vez que para ser campeão não precisa ter somente uma potência, uma grande estrutura, mas principalmente planejamento, sorte e frieza na hora "H". Parabéns São Paulo pelo Hexa campeonato.

Libertadores
O consolo de equipes mais badaladas foi o passaporte ao torneio mais importante da América do Sul. Grêmio, Palmeiras, Cruzeiro, se juntam ao São Paulo e Sport em 2009. O Flamengo, quinto colocado, decepcionou e agora terá que se contentar com a Sul-Americana.

Série B
A decepção do campeonato ficou por conta do Vasco da Gama. A tradicional equipe carioca, detentora de um tetracampeonato brasileiro, um título da Libertadores, enfim, infelizmente, no ano em que se desfez de seu maior mal (Eurico MIranda), não resistiu e caiu, pela primeira vez, para a Série B. Apesar da dor, a partir de hoje o clube deve levantar a cabeça. Deve se planejar para recuperar o prestígio, a confiança e voltar a ser forte. Assim como a elite do futebol Brasileiro perdeu com as ausências anteriores de Corinthians, Grêmio, Palmeiras, Botafogo, Fluminense, Atlético MG, entre outros, perde agora com o cruzmaltino.

Isso sem falar do já enfraquecido futebol carioca. O Vasco sem sombra de dúvida voltará mais forte, mas planejado e mais rico. Levanta a cabeça e força Vasco!! Força também para Figueirense, Portuguesa e Ipatinga, os outros rebaixados.

Até a próxima leitor EA!