quinta-feira, 14 de julho de 2011

A COPA QUE ENGANA - Por Rodrigo Curty

E o Brasil segue vivo na Copa América. É bem verdade que os comandados de Mano Menezes passaram sufoco contra o Equador, mas para muito o que vale é a vitória, e consequentemente a classificação.

O que não podemos é nos enganar com o triunfo de 4x2. O Brasil precisa melhorar em muitos fundamentos. A zaga falha demais, falta tempo de bola, talvez um pouco de confiança. E o velho ditado de que um bom time começa com um bom goleiro, apesar das duas falhas nos gols de Caicedo deve prevalecer. Julio Cesar não precisa provar nada pra ninguém, mas é bom entender que existem sombras para a posição, principalmente daqueles que não foram levados para o torneio.

É bem verdade que o time melhorou, mas principalmente pelo aspecto individual. Na zaga, Lúcio e Thiago Silva bateram cabeça, André Santos foi regular e Maicon acertou mais do que errou, mas precisa melhorar os cruzamentos por cima. Independente disto, o lateral provou ser melhor que Daniel Alves. No meio, os volantes Ramires e Lucas Leiva até que foram bem, mas com Ganso e Robinho no quadrado fica evidente que o setor precisa ter uma marcação mais forte, uma vez que um duelo com um time de criação no meio e ataque que decide, a vaca vai pro brejo.

Em relação ao ataque o time vai bem. Desconfiança em cima de Neymar e Pato é uma besteira. Os caras resolvem, porém precisam jogar soltos como ontem. O craque do Santos provou que com liberdade pra atuar em todas as faixas do campo, a história é outra, e que a máxima de que clube é clube e seleção é seleção pra ele não passa da mesma coisa. Pato é outro que tem muita qualidade. Mas forte, maduro e frio, o atacante prova que é o dono da camisa nove.

No comando, Mano Menezes teve sua parcela, claro que teve, uma delas, por exemplo, a de talvez ter sido o responsável para Robinho arrancar o topete e pensar apenas em jogar bola. O lobby deu certo para o atacante que na minha visão deveria ser opção e não titular, enfim, vida que segue.

Agora é pensar no Paraguai e continuar o risco de nos enganar com a Seleção que é infelizmente movida pela CBF. É difícil torcer contra a nossa pátria, por isso, talvez seja melhor não assisitir e correr este risco, mas pense que um título somente trará mais força a Ricardo Teixeira e não aos brasileiros. Vale a pena?

Até a próxima!