terça-feira, 14 de janeiro de 2014

O FENÔMENO CRISTIANO RONALDO - Por Rodrigo Curty



E a premiação dos melhores da Fifa foi emocionante. Entre os destaques, a merecida Bola de Ouro foi finalmente dada a Pelé, que se emocionou demais. 
Mas o teatro Kongreshaus, em Zurique, na Suíça reservava mais. O português Cristiano Ronaldo voltou a ser considerado o melhor jogador do Mundo pela FIFA. O português de 28 anos, que já havia levado a o prêmio em 2008, viu de lá pra cá a Bola de Ouro terminar sempre nas mãos de seu rival de clube, Lionel Messi, do Barcelona. Independente de quem entendemos seja o melhor jogador, o fato é que CR7 na temporada passada realmente fez mais que o argentino, que humildemente reconheceu a premiação.
O Madeirense que sempre almejou ser novamente o número 1 sobrou, entre os feitos foram 69 gols em 59 partidas e a participação heroica contra a Suécia para classificar seu país à Copa do Mundo. Mesmo assim, haverá discussão de que o feito veio pelo fato de Léo ter ficado grande parte da disputa no estaleiro, e por Franck Ribéry que ajudou o Bayern de Munique a vencer praticamente tudo em 2013 não ter o mesmo peso da dupla, mas isso é pura bobagem, CR7 mereceu demais receber o prêmio das mãos de Pelé e ao lado de seu filho.
Agora se ainda restam algumas provas para Cristiano Ronaldo ser considerado um fenômeno como o Ronaldo brasileiro que também teve seus momentos de ouro e conquistou o título de melhor do mundo em três oportunidades(96,97 e 2002), vale lembrar que teoricamente ainda há uma possibilidade dele disputar três Copas do Mundo, assim esse rótulo pode também um dia ser seu, mas com um detalhe, apenas dentro de campo, uma vez que fora, ninguém se promove mais, como eu conto a seguir.
Cristiano Ronaldo teve o primeiro contato com os gramados no Nacional da Madeira, mas pouco antes de completar 12 anos acabou sendo utilizado como moeda de troca para pagamento da dívida do clube, junto ao Sporting Lisboa. Na ocasião ele foi levado para um período de testes no valor de aproximadamente 30 mil euros. Na época era muito dinheiro, porém bem menos do que viria valer. Abelhinha como é conhecido pela sua rapidez destoou dos outros meninos, e em apenas dois dias já foi aceito pelo clube que é conhecido por formar jogadores e não times.
Daí para frente vocês conhecem a história, o craque foi e é até hoje idolatrado em Manchester, onde no Red Devils fez estragos nos adversários. No atual clube, Real Madrid também é ídolo, e mesmo assim com a consciência de que precisa fazer mais, como por exemplo, levar o clube novamente no topo da Champions League e consequentemente ganhar o Mundo.
O fenômeno português já é para muitos, após Eusébio o melhor e mais famoso jogador do país, ultrapassando o seu antecessor da camisa 7 da Seleção Portuguesa, o também craque Luís Figo. Detalhe que o 7 corresponde ao nosso camisa 10.
O sucesso de Ronaldo é tanto que ele possui sua própria grife. Roupas e acessórios da mais alta qualidade, assim os ídolos também têm o prazer de se sentir como o craque, que é um dos garotos-propaganda mais bem pagos do mundo. Se não bastasse ser o jogador mais caro da história do futebol, uma vez que ganha nos campos, cerca de 1 milhão por semana, essas quantias por fora ajudam a aumentar sua fortuna.
A questão que fica agora é se com esse merecido título, a preocupação em parecer mais um popstar do que jogador será mais evidente, ou se o seu amadurecimento se fará presente. Sinceramente, arrisco dizer que as negativas que isso lhe proporcionou nas derrotas, nos questionamentos, por mais que me parece nítido não ter incomodado continuarão presentes na Copa do Mundo, e assim Cristiano Ronaldo, enquanto permanecer com Portugal no torneio, fará bonito.
Até a próxima!