quinta-feira, 16 de outubro de 2014

EM NOITE DE GALA, O GALO CANTOU - Por Rodrigo Curty


A Copa do Brasil vem se aproximando de seu final. A noite de quarta-feira classificou três equipes às semifinais. Cruzeiro, Flamengo e Atlético MG. Hoje a última vaga será preenchida por Santos ou Botafogo que se enfrentam no Pacaembu. O time da Vila Belmiro venceu o primeiro duelo no Maracanã por 3x2 e tem tudo para avançar, mas é bom não vacilar se quiser ser o adversário do Cruzeiro.
Vamos aos classificados.
Como já informei, na Arena de Natal, o Cruzeiro perdeu mais uma. Desta vez para o ABC, que mesmo com o triunfo por 3x2, deu adeus, pois perdeu a primeira por 1x0 e levou dois gols. Marcelo Oliveira terá que ajustar sua equipe emocionalmente, caso contrário, a folga na liderança do Brasileirão não irá durar por muito tempo. Já são três derrotas seguidas.
Já no Maracanã com excelente público, o Flamengo deixou nítido que jogaria com o regulamento debaixo do braço. A partida ficou aquém das expectativas e em certos momentos preocupante para o rubro-negro. Sem chances de gol na primeira etapa e com um segundo tempo brigado, o talismã da equipe nos últimos jogos resolveu. Gabriel marcou o gol da vitória de 1x0. Destaque negativo da partida foi a lesão do atacante Alecsandro. Afundamento na testa e fim das atividades até o final do ano. O Flamengo deve sofrer com sua ausência.
Agora a partida do Mineirão. O Corinthians venceu o Atlético MG no primeiro confronto em seus domínios por 2x0 e melhorou a sua vantagem com um gol logo de cara do atacante Guerrero. O problema que como já é um costume, a equipe de Mano Menezes não mostrou alternativas táticas, raça e vontade de vencer. Tem alguma coisa estranha dentro do clube, mas que não vem ao caso, pois o Atlético MG não se abateu com o gol e foi para cima como sendo a última partida de sua vida. Teve Diego Tardelli entre os titulares e a certeza que tudo daria certo.
Levir Culpi e a torcida atleticana não acreditava no que via. O time correndo, jogadores mudando de posições e confundindo o time paulista, exigindo ótimas defesas do goleiro Cássio. Fora isso, contava com um grande apoio do torcedor que fez linda festa no estádio. No fim do primeiro tempo, o time mineiro já vencia por 2x1 e poderia ter feito até mais. Na segunda etapa, era esperado que o Corinthians voltasse mais ligado e pressionando o Galo, mas não foi o que aconteceu. Pressionado e perdido em campo, era questão de tempo para o Atlético voltar a marcar. Novamente com Guilherme, o nome do jogo.
O tempo ia passando, Mano se estressando, poupando Elias, que também vinha da Seleção Brasileira e ainda tinha que aguentar a torcida adversária gritando “eu acredito”. A pressão era enorme, bola na trave de Cássio, defesa do goleiro com os pés, e do outro lado a única grande chance nos pés de Danilo, parou na defesa de Victor. Foi aí que aos 42’, após cobrança de escanteio que o zagueiro EdCarlos enlouqueceu o Mineirão.
O impossível está sendo realizado. O espírito da Libertadores de 2013 veio à tona. O desespero no último lance corinthiano, quase fez Marcos Rocha entrar para história. Cássio foi tentar o cabeceio e livre de marcação, o lateral chutou do meio de campo e a bola só não entrou porque Fágner salvou na linha.
Parabéns ao Galo e atenção ao Corinthians que terá muitos problemas para se recompor e unir o elenco.  
Até a próxima!