quinta-feira, 2 de abril de 2015

AS DIFERENÇAS DE CORINTHIANS E SÃO PAULO - Por Rodrigo Curty


E o Grupo 2 da Libertadores segue empolgante. O Corinthians fez novamente o seu papel e passeou sobre o fraco Danubio. Já o São Paulo não resistiu a pressão do Nuevo Gasômetro e acabou derrotado por 1x0 para o San Lorenzo.
Se antes do início da disputa, a maioria apostava as fichas na dupla brasileira para seguirem à próxima fase, agora não dá mais para ter tanta certeza.
Hoje a diferença entre as duas equipes paulistas é gritante, mas por que? Existem vários fatores e, talvez o principal seja a parte administrativa. Enquanto o Timão se planejou bem ao trazer Tite para substituir Mano Menezes e reforços pontuais, o tricolor investiu errado nas peças para o elenco. Com exceção de Centurión, os novos reforços ainda não deram certo.
O torneio Continental sempre foi e provavelmente será a obsessão do torcedor são-paulino. A pressão por uma melhora é evidente e tem efeito contrário, ou seja não faz nada bem na estrutura emocional do elenco. Do lado alvinegro a realidade é completamente outra. O time é vibrante, seguro e de certa forma até relaxado.
A goleada por 4x0 ontem contra o Danubio (Uru) marcou a 21ª vitória da equipe no ano. E quem diria? Na Arena já são 28 jogos de invencibilidade. Essa é definitivamente a casa do Corinthians, um caldeirão sempre cheio e ensurdecedor.
Independente do adversário, os comandados de Tite fizeram uma partida impecável. As alternâncias táticas, união e sabedoria de cada um em exercer o seu papel em campo fez toda a diferença. O elenco não é formado por apenas 11 jogadores, isso faz toda a diferença. Impossível não aceitar que o time antes criticado, zuado e questionado, hoje sabe como poucos jogar a Libertadores.
Do outro lado é sabido que o Morumbi em outros tempos também era uma força do São Paulo, porém o time não empolga nem o seu fanático torcedor. A viagem para à Argentina foi feita debaixo de protestos, ameaças, entre outras baboseiras de quem se coloca acima de qualquer suspeita. Ora, o São Paulo é grande e também conta com homens de caráter em seu elenco. A questão é que precisa mudar seu planejamento, pessoas ligadas no futebol e ter mais humildade para reconhecer que os tempos são outros.
A derrota para o San Lorenzo não deve ser encarada como uma tragédia e sim como sinal de alerta. E nada melhor do que na próxima rodada medir forças contra o Danubio mesmo fora de casa. O time de Muricy Ramalho tem tudo para recuperar a confiança.
O Timão, por sua vez encara o time argentino em sua casa e deve ter a torcida de vários tricolores. A partida não será fácil, como nunca é contra os hermanos. Mesmo que dê San Lorenzo, sinceramente não vejo a dupla brasileira fora da sequencia da competição. Para isso, o São Paulo terá que ser eficiente e se impor também contra o Corinthians, seu maior algoz no ano e que adora jogar no Morumbi. Uma dica para conseguir o feito é jogar com inteligência, paciência e pensar que o adversário é outro time e não o que ainda não foi batido no ano. Vamos aguardar.
Até a próxima!