quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

FIFA MANDA BEM CONTRA À HOMOFOBIA - Por Rodrigo Curty

E desta vez, a Fifa acertou. Se a maior entidade do futebol peca nas questões administrativas, lambanças fiscais e perde cada vez mais a sua credibilidade, nesta quarta-feira fez muito bem o seu papel no combate à homofobia.
Longe de defender A ou B, mas as opções de cada um deve ser respeitada.
Por causa de “torcedores” que insistem em criar e pulverizar “cantos homofóbicos” nos estádios, a Fifa decidiu punir seis federações: Argentina, Chile, Peru, Uruguai, México e Honduras. O sexteto foi citado, através do Sistema de Monitoramento Anti-Discriminação.
A má conduta destes cidadãos ocorreu durante os jogos das Eliminatórias para a Copa de 2018 e trará também prejuízos financeiros aos países.
Essas punições referem-se aos cantos homofóbicos realizados nos estádios e compete à violação do Artigo 67 do Código Disciplinar da Fifa. Quem mais saiu prejudicado foi o Chile, que desembolsará aproximadamente R$ 277 mil reais. Já Uruguai, Peru, Argentina e México foram multados em R$ 80 mil. O processo contra a Federação Hondurenha ainda não teve um fechamento.

Apesar da dificuldade em combater o preconceito, jamais a entidade deve se omitir. Claudio Sulser, presidente do Comitê Disciplinar da Fifa está de parabéns pela atitude, mas será preciso mais, afinal um país ou um clube não pode ter que a todo momento pagar pela imbecilidade de um torcedor, que às vezes pode até estar infiltrado para prejudicar esse ou aquele. Deve-se pegar o infrator e aplicar uma multa ou condição severa para dar o exemplo.
A torcida é para que o Brasil perceba com mais afinco esses tipos de atos em seus palcos.
Até a próxima!