quinta-feira, 6 de julho de 2017

BOTAFOGO TÚ ÉS O GLORIOSO - Por Rodrigo Curty

E mais uma vez o Botafogo foi maiúsculo na Libertadores. A equipe alvinegra, que desde a fase da repescagem cala os críticos, venceu mais um campeão da competição. Se anteriormente os tradicionais Colo-Colo (Chi), Olímpia (Par), Estudiantes (Arg) e Atlético Nacional(Col) sucumbiram diante do Glorioso, agora foi a vez do tricampeão Nacional (Uru).
O placar de 1x0, em pleno estádio Parque Central, em Montevidéu foi muito comemorado entre jogadores, comissão técnica e torcedores. E não tinha como ser diferente. Fogos de artifício na porta do hotel em que ficou hospedado, vestiário ruim, pressão dos torcedores locais e muito frio foram apenas alguns dos ingredientes. Nada disso, porém foi suficiente para tirar a proeza do time carioca.
É fato e merece aplauso o que Jair Ventura faz com o que tem nas mãos. A todo momento um jogador se machuca ou acaba saindo do clube. Recentemente foi o ocorrido com a grande contratação para a temporada - o meia Montillo, que infelizmente, pelas seguidas lesões desistiu do futebol no campo.
Mas quem sabe o que tem nas mãos e com competência consegue o resultado esperado. O jovem volante Matheus Fernandes, de apenas 19 anos é prova disso. Jair entrou com uma equipe formada por três volantes e mesmo assim não deixou de objetivo. Mesmo abrindo mão de um meia de criação, no caso Camilo, que entrou apenas no final da partida, a espinha dorsal formada pelo bom goleiro Gatito Fernández, o xerife argentino Joel Carli, os volantes Rodrigo Lindoso e Bruno Silva, além de João Paulo, que tem potencial e fez o gol tão esperado por todos do elenco, na frente tem a experiência e frieza de Roger deu conta do recado. Hoje é impossível deixar de acreditar no alvinegro e colocá-lo como uma das melhores equipes da temporada.
A partida foi tensa como é toda a Libertadores. Truncado, provocado, sem muitas chances de gols. Está mais do que provado que o Glorioso aprendeu, mesmo que de forma precoce a jogar como se deve a competição. Sem medo, afobação e aguardando a "bola" para resolver.  
O time de Jair Ventura não vence e nem marca gols há dois jogos no Brasileirão, mas na Libertadores provou ser cirúrgico, seguro de suas ações. Não falha quando tem a chance. Venceu assim aos 37' com o gol de João Paulo.
Depois aguentou a pressão, se agigantou e agora espera manter isso na partida de volta para chegar a tão sonhada quartas de final. É bom se atentar contra os uruguaios, afinal, não faz muito tempo que surpreendeu e eliminou fora de casa, duas grandes forças como Palmeiras e Corinthians.
Boa sorte ao Glorioso que já faz mais do que se esperava e prova que com planejamento, união e responsabilidade pode-se ir longe em qualquer torneio.
Até a próxima!