segunda-feira, 25 de março de 2013

ESTRELA OU COMPETÊNCIA - Por Rodrigo Curty

E nesta segunda-feira, Londres, mas especificamente o estadio Stamford Bridge foi palco da última partida da Seleção Brasileira antes da Copa das Confederações.
Se na última 5ªfeira o Brasil até que esteve bem em campo, porém cedeu o empate por 2x2 contra a Itália, o que se viu hoje foi um domínio na maior parte do tempo dos Russos. 
Hoje o resultado foi mais um empate. Desta vez por 1x1, com gol salvador de Fred aos 44' da etapa final. Este por sinal nas três partidas com Felipão marcou três gols.
Sinceramente, vejo a Seleção com preocupações. Felipão aos poucos começa a desenhar o que entende ser um grupo, mas está difícil acreditar. 
Nos dois amistosos podemos ver algumas caras novas, e por que não invenções de empresários, velhos conhecidos e peças que já deram o que tinha que dar. Isso sem falar da falta de identidade de alguns jogadores com a torcida, por exemplo Neymar. O garoto bem que tentou ir bem hoje como na última quinta-geira, mas foi alvo de críticas de ingleses e de brasileiros no estadio. Isso é lamentável. Penso que o camisa 11 santista precisa esquecer as vaias, o peso e principalmente a marca Neymar. Precisa jogar contra tudo e contra todos e ter o apoio de jogadores que atuam no Brasil. Estes devem chegar junto ao craque brasileiro. Precisam fazer com que ele não se intimide e mantenha o rótulo de ser cai-cai e viver de rotulagem no meu ponto de vista há algum tempo injustas, mas fazer o que? O fato é que o torcedor brasileiro prefere e sofre muito mais com seu time local do que com a Seleção do país. Mal sabe quando esta atua, quem são os onze, da preparação para os torneios que estão por vir.
São muitas tarefas e desafios pela frente. CBF, Felipão, Ministério dos Esportes, entre outros envolvidos precisam resgatar urgentemente esta que já foi uma paixão nacional. A identidade dos que defendem a camisa amarela é primordial, independente de que clube atua ou já atuou. Estamos anos luz de equipes como Alemanha, Inglaterra, Holanda, Argentina, entre outros. Tudo bem que hoje a atual campeã do Mundo Espanha também está com problemas, mas lá tem apoio e respeito.
As estrelas brasileiras são muitas, mas longe do que podem brilhar. No gol Julio Cesar ainda é referência, a zaga passa por sérios problemas mesmo com jogadores consagrados como Daniel Alves, Thiago Silva e cia. Marcelo é o cara da lateral esquerda, em certos momentos foi bem com Hulk, mas este não pode ser o cara das jogadas pela esquerda. Kaká aproveitou a chance que teve, foi no mínimo dez vezes melhor que o sósia das histórias em quadrinhos. David Luiz parece ter sentido o peso. Hernanes se empenha e tem classe, mas por que não chamar quem atua no Brasil e que resolve tão bem quanto? Oscar precisa de ritmo, mas temos outros melhores. No ataque permaneceria com o que está. Neymar e Fred é uma baita dupla e merece respeito e apoio.
Felipão tem competência, porém penso que muito mais estrela. Sabe o que faz ou dá a sorte de escolher o improvável e este dar conta do recado. É aguardar para ver quem serão os selecionados. Faltam duas partidas para o treinador definir quem defenderá a amarelinha na Copa das Confederações. Detalhe que vejo como positivo é que serão chamados somente jogadores que atuam no país. A primeira partida será contra Bolívia no dia 6 de abril, em Santa Cruz de la Sierra. Já no dia  25 do mesmo mês, o duelo será contra o Chile, no Mineirão, em Belo Horizonte.
Faça a sua aposta e um esforço para valer a pena torcer a favor seja com jogadores que contam com uma estrela ou porque realmente têm competência.
Até a próxima!