sexta-feira, 21 de agosto de 2015

SÃO PAULO DÁ MAIS UM VEXAME E PERDE PARA OS RESERVAS DO CEARÁ - Por Rodrigo Curty


A noite do dia 20/08/2015 não será esquecida tão cedo pelos torcedores de São Paulo e Ceará. As duas equipes se enfrentaram em partida válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil e quem vibrou foi um certo Rafael Costa.
Na época do sorteio, as equipes do São Paulo, Atlético MG, Fluminense e Internacional saíram em vantagem, afinal conheceram os adversários que enfrentariam nessa fase do torneio e convenhamos, bem inferiores tecnicamente.
A questão é que faz um bom tempo que no futebol, o favoritismo não entra em campo. Antes de falar da zebra no Morumbi, vale o registro do empate em 1x1 do Galo mineiro, no Independência contra o Figueirense e da injusta vitória do Fluminense por 2x1 contra o Paysandu, no Maracanã. Apenas o Colorado honrou as expectativas. Venceu o Ituano por 2x0 e só não fez mais porque a pontaria estava ruim.
Em São Paulo, o tricolor mais uma vez foi irreconhecível. Pelo visto, o baile que levou no último sábado contra o Goiás e as lamentáveis cenas de violência pós-jogo não surtiram o efeito no grupo. É verdade que os poucos torcedores que foram ao estádio, de certa forma incentivaram a equipe contra o Vozão, mas a paciência tem limite.
Longe de querer defender Juan Carlos Osório, mas apesar do treinador ter inventado uma escalação, ficou claro que alguns jogadores estão aquém das expectativas e parecem desejar a queda do colombiano. O tricolor teve maior posse de bola e excesso de finalizações, mas os erros de posicionamento, falta de jogadas ensaiadas e criatividade para sair das adversidades culminariam para mais um tropeço contra o efetivo e competente ataque alvinegro.
Mas por que o time não consegue ir bem? As invenções a cada partida e a falta de atitude em querer colaborar com o que o treinador pede são uma das razões. Só não enxerga quem não quer. O time está longe de estar unido e motivado. Já passou da hora de uma reciclagem. Paulo Henrique Ganso, Michel Bastos, Reinaldo, Toloi(que nem jogou), entre outros, não tem mais clima para seguir na equipe. O time fora de campo também não vai bem. É muita vaidade, prepotência e falta de conhecimento de gestão no corpo diretivo. Estão envergonhando cada vez mais a história do vitorioso São Paulo.
A derrota faz parte do jogo, mas da forma como foram as duas últimas partidas, no local onde havia perdido apenas uma vez no ano vai dar o que falar. Ontem o Ceará, que é o último colocado da série B, e que precisará vencer pelo menos 11 dos seus próximos 19 jogos para se salvar da queda à C jogou com nove jogadores reservas e suportou a pressão desorganizada do adversário. A vantagem é boa para a partida de volta, mas o São Paulo tem equipe para vencer e bem. Mas não adiantará nada conseguir a classificação e seguir sem a renovação para o restante da temporada. E a renovação nada tem a ver com contratações motivadas pela torcida como Diego Lugano, por exemplo. É aguardar para ver como o elenco se comportará com a forte pressão e se terá desejo de virar a página de forma positiva.
Domingo a parada será pelo Brasileirão contra o Flamengo, que conta com um novo treinador, e que também precisa afastar a crise que ronda no clube. Promessa de mais um jogo tenso.  Faça a sua aposta.
Até a próxima!