segunda-feira, 26 de junho de 2017

O MÉRITO DO CORINTHIANS - Por Rodrigo Curty

E a décima rodada do brasileirão, série A foi muito boa para os postulantes ao título. Corinthians, Flamengo, Palmeiras e Atlético MG venceram seus jogos e curiosamente fora de seus domínios.
Tudo bem que o Grêmio atua de forma brilhante na competição e, assim como Cruzeiro e Santos pode brigar até o final pelo título.
É importante ressaltar que a liderança corintiana não é à toa. O clube que começou o ano sendo considerada a quarta força do paulistão, acabou como campeã e diferentemente daqueles que se iludem, após a conquista regional, planejou e bem seu início no torneio e soube se reerguer, mesmo em uma grave crise financeira.
A identidade do clube faz muita diferença. A manutenção do padrão desde a "era" Tite é fundamental para o sucesso da equipe. Basta lembrar que anteriormente Oswaldo de Oliveira e Cristóvão Borges tentaram impor uma nova cultura e metodologia de trabalho e foi uma lástima.
A velha máxima de time que se ganha não se mexe deve ser levada em consideração. Calma, longe de não ser a favor de mudanças, mas penso que cabe principalmente a comissão técnica criar alternativas táticas e estudar bem aspectos básicos como logística e adversários. Inventar ou querer mudar cultura não é fácil e muita das vezes é algo necessário.
No Corinthians definitivamente não é o que importa. Para o clube hoje mais vale manter o que se tem do que investir forte. Se não concorda, como explicar a efetivação de Fábio Carille e poucos jogadores contratados para a temporada? 
O primeiro semestre houve um investimento de apenas R$12 milhões em contratações, sendo a do volante Gabriel o mais caro (R$ 6,7 milhões por 50% dos direitos).   
O elenco é unido e homogêneo. Na equipe titular jogadores como Cássio, que voltou a defender como nos tempos áureos do clube, Fagner, Balbuena, Pablo(emprestado pelo Bordeaux para a temporada) e Arana levaram apenas cinco gols nos dez disputados. No meio, seja com Gabriel ou Paulo Roberto ao lado de Rodriguinho, Maycon e Jádson dá o equilíbrio e a qualidade no passe para o ataque com Romero e Jô deslanchar.
Outro fator importante dessa equipe é o equilíbrio emocional. O time não soma 26 pontos em 30 disputados apenas por sorte. Se analisarmos os números dos confrontos até aqui, na maioria, os comandados de Carille tiveram menos posse de bola e chutes à gol. Ora, no futebol o que vale é a competência. É melhor dar um chute e ganhar o jogo, do que chutar 15 e sair derrotado. Essa é a tal metodologia que perdura após Tite. Um time pragmático e sem a preocupação em dar espetáculo. O torcedor quer viver de títulos e não de exibições de gala.
Ainda tem muita coisa pela frente, porém o fator casa que é primordial para todos os participantes não é diferente em Itaquera. No ano passado, na mesma 10ª rodada, o Palmeiras era líder com 22 pontos, dois a mais que o então rebaixado Internacional, ou seja, os números não param de crescer e a tendência é ainda durar por um longo período.
Vamos aguardar para ver se haverá queda de rendimento na primeira derrota e quebra de recorde no ano. Já são 23 jogos invictos e outro torneio à vista - 4ªfeira é dia de Sul-americana contra o Patriotas (Col).
Faça a sua aposta. Apesar de aplaudir e elogiar o belo trabalho de Carille, a minha é que o Timão não terá fôlego até o final da temporada para se campeão, mas se manterá entre os quatro primeiros, pela "gordura" e fator casa. 
Até a próxima!
Até a próxima!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

FLAMENGO GOLEIA E EMPOLGA - Por Rodrigo Curty

E mais uma vez a torcida presente na Ilha do Urubu saiu em ritmo de festa. O Flamengo goleou o bom time da Chapecoense, que definitivamente não consegue voltar a vencer na competição.
A obrigação do rubro-negro em somar mais três pontos e conseguir de vez uma sequência de vitórias na competição ficou nítido desde o início. Defesa, meio e ataque estão sincronizados e concentrados. Fora isso, a sintonia estádio e jogadores parece que deu liga.
Hoje Diego e Guerrero foram os grandes destaques da partida. O camisa 35 abriu o placar com um belo gol de fora da área. Já o camisa 9 calou aqueles que acham que ele tem mais a fama de perder do que marcar gols. 
É bem verdade que o peruano perdeu boas oportunidades de marcar até mais do que os seus três primeiros gols no torneio. Mas é fato também que o atacante ajuda e muito no esquema de Zé Ricardo. Ele marca atrás, tabela no meio e finaliza sempre que sobra uma bola. É um jogador inteligente e muito bem preparado fisicamente. Foi assim que deu o passe na medida para Diego marcar outro golaço na partida.
Quem estreou na zaga do Flamengo foi Rhodolfo. Ele entrou, por causa da contusão do capitão Réver, logo após a falha do goleiro Thiago no gol de Victor Ramos. E olha que mesmo sem ritmo de jogo, mostrou que sabe se antecipar as jogadas e dar segurança quando o time é pressionado. 
Ainda é muito cedo para cravar que o Flamengo decolará. A goleada foi merecida e mesmo em momentos de ansiedade o time se portou bem e soube esperar o momento de consolidar a vitória que poderia ter sido ainda maior.
O rubro-negro tem muita qualidade técnica e diversas opções para a maioria das posições. O planejamento é essencial nessa retomada tão desejada pela torcida e comissão técnica.
O mês foi cansativo, assim como será julho. Jogos sem tempo de folga para treinamentos, riscos de lesões, jogadores com altos salários no banco de reservas, enfim, gerenciar tudo isso não é uma tarefa fácil nem para um treinador considerado medalhão.
A vida de técnico no Brasil não é fácil, quem dirá então em um time de tanta tradição. Zé Ricardo ainda é questionável, mas precisa de tranquilidade para comandar. Precisa parar com a tal questão de "meritocracia". Penso que deveria simplesmente sentar com todos da comissão e jogadores e bolar equipes para os torneios que o clube se encontra. 
Nesse domingo, por exemplo, a partida contra o Bahia tende ser complicada, seja pelo desgaste, seja pela pressão do tricolor ter que voltar a vencer, após duas derrotas de forma avassaladora contra Palmeiras e Corinthians.
Zé Ricardo deve entender de uma vez por todas que têm um elenco de suplentes que dá conta do recado. Pense você que no banco tem jogadores como Muralha, Pará, Cuéllar, Rômulo, Conca, Ederson, Mancuello, Vinicius Junior e Leandro Damião. Isso sem falar que Everton Ribeiro deve fazer a sua estreia. Ora, será que não vale poupar nomes como o da dupla que acabou com o jogo de hoje, pensando já na partida de ida das quartas da Copa do Brasil contra o Santos? Fora isso, é importante levar em consideração a questão de evitar as lesões musculares pelo excesso absurdo de jogos. É para se pensar e confiar que no Flamengo, assim como em outros clubes, haja uma inteligência para saber como cada atleta se encontra após as partidas, seja física, emocional ou fisiologicamente. 
Hoje o time goleou e sim, bastará um tropeço domingo para toda pressão, desconfiança e cobranças voltarem à tona. Vamos aguardar para ver o que rola nos próximos capítulos. A Nação espera que a sequência tão esperada.
Até a próxima!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

A RODADA DOS MANDANTES - Por Rodrigo Curty

A nona rodada do brasileirão, diferente da anterior teve a supremacia dos mandantes com exceção de Santos e Fluminense que venceram bem os seus jogos.
O Peixe segue firme e com uma invencibilidade de cinco partidas. Mesmo desfalcado de importantes jogadores, os comandados de Levir Culpi conseguiram vencer o Vitória, em pleno Barradão por 2x0 e finalmente parece ter entrado nos eixos.
O Vasco, por sua vez, único time a vencer em casa na última rodada perdeu mais um clássico. O Botafogo quebrou um jejum de 4 anos ou 11 jogos com a maiúscula vitória por 3x1, com dois gols de Roger. Esse time de Jair Ventura joga um futebol agradável de se ver. Resta saber até quando irá durar.
No Allianz Arena, o Palmeiras mais uma vez cansou de perder gols e não empolgou a sua torcida. O adversário, o fraco tecnicamente Atlético GO quase que empatou no final, mas seria um pecado pelo o que se viu na partida. Vitória magra, porém importante para Cuca e cia. Agora é ver se embala.
E por falar em embalar, quem definitivamente não consegue engrenar uma sequência positiva é o Atlético MG. O Galo tropeçou novamente no Horto. Desta vez, o algoz foi o Sport Recife. Excelente empate em 2x2 que deixa Roger à perigo. Será?
Outro que teoricamente poderia sofrer pressão por melhores resultados é Rogério Ceni. O técnico do São Paulo não agrada a todos. O tricolor foi muito superior ao Atlético PR, que venceu por 1x0, graças a mais uma falha defensiva dos paulistas. A falta de sorte e competência custou mais uma derrota e a expectativa é de dias melhores com a chegada dos três reforços - Arboleda, Gomez e Petros. Já são quatro partidas sem triunfar e zona de degola cada vez mais próxima.
Por fim, o Fluminense bem desfalcado passou pelo fraco Avaí, em plena Ressacada. Maicon, ex-lateral da Seleção Brasileira teve uma estreia para esquecer - gol contra e desvio no chute de Mascarenhas. Abel Braga definitivamente tira leite de pedra. Aqui a base mais uma vez merece atenção.
Amanhã a rodada se completa com quatro partidas. O líder Corinthians recebe o Bahia, o vice-líder Grêmio encara o Coritiba, o Flamengo entra pressionado na estreia do zagueiro Rhodolfo contra o bom time da Chapecoense e o Cruzeiro visita a Ponte Preta. Faça a sua aposta. 
Até a próxima!

ESTAÇÃO DE INVERNO SKI MONTAIN RECEBE ETAPA DE VELOCROSS - Por Rodrigo Curty

E nesse próximo domingo, dia 25/06/2017, os apaixonados pelo velocross - motos que correm sem contar com obstáculos e saltos, como ocorrido no motocross, tem a oportunidade de participar e assistir a 1ª etapa da Copa Oeste de Velocross 2017.
O evento será realizado no belo espaço do parque Ski Montain Park, em São Roque. A organização garante a segurança e conforto de todos que participam e prestigiam as etapas, assim como as atrações e entretenimento do espaço. A competição que já está em sua quarta temporada, a cada ano desenvolve um trabalho sério e dedicado ao esporte familiar voltado ao lazer. 
Desta forma, aqueles que buscam adrenalina e oportunidades de um dia de muita curtição, adrenalina e boas brincadeiras não podem ficar de fora.
As atividades terão início às 7h30 com a abertura das inscrições e com os treinos livres que acontecem até às 10h30. Serão mais de cem atletas roncando suas motos para o delírio dos visitantes que acompanharão a partir das 11h a primeira largada.  
A prova é disputada em circuito fechado de um quilômetro e terá um tempo total de dez minutos e mais duas voltas, totalizando a média de 15 minutos. 
Durante a temporada de inverno vale a pena usufruir de todas as variedades turísticas e serviços oferecidos pelo município, através da Estância Turística de São Roque.
O diretor Roque Silva, do belíssimo espaço Ski Montain Park, demonstrou um grande orgulho em receber o evento, uma vez que isso reafirma o compromisso do parque com o esporte, como ele mesmo explica - “Abrimos nosso espaço ao esporte porque essa é a nossa essência. Velocross, além de um esporte radical, tem amantes de todas as idades e famílias inteiras apreciam a modalidade”.
É importante que se diga que o Velocross cresce a cada dia. Para se ter uma ideia, serão doze largadas para as dezessete categorias, separadas por idade, nacionalidade da motocicleta (nacional / importada), cilindrada e categorias femininas.
Os dez primeiros colocados ganharão troféus. O piloto que fizer primeiro a curva leva o Troféu Holeshot.  As categorias disputadas são: 50cc / 65cc / VX Junior (85cc 2t ou 125cc 4t) / VXFN (Fem.) / VXFE (Fem.)  / VX Nac. Amador / VX 2 TEMPOS / VX 200 / VX 230F (CRF TTR) / VX 250+ / VX Intermediária / VX 30 / VX 40 / VX 1 / VX 2 / VX Nacional Força Livre / VX Especial Força Livre.
Aos interessados em fazer parte, atenção - As inscrições devem ser feitas na secretaria da organização ou por meio da ficha eletrônica disponibilizada via e-mail, contato@copavelocross.com.br
Outras informações:
Endereço Ski Montain.: Estrada da Serrinha s/nº - Bairro Cambará – São Roque
Facebook.com/skipark.saoroque
Facebook.com/copavelocross
Organização: (11) 9 9786-7620 / (Reginaldo Andrade ).
Boa aventura e até a próxima! 

terça-feira, 20 de junho de 2017

GRÊMIO E O VALOR DA BASE - Por Rodrigo Curty

A oitava rodada do brasileirão foi fechada com uma bela partida. Cruzeiro e Grêmio fizeram um duelo de seis gols e muitas chances perdidas. Para quem viu apenas o resultado, pode pensar que os gols saíram pela falta de qualidade técnica das equipes, quando na verdade foi o contrário. Os dois times sempre buscaram o ataque e tiveram ótimas trocas de passes, jogadas estudadas e trabalhadas. Confira os melhores momentos e faça a sua análise.
Como seria bom se fosse sempre assim. Das 20 agremiações que participam do certame, infelizmente são poucas que valorizam a posse de bola, de forma efetiva, envolvente e com coragem para marcar gols, mesmo correndo riscos de levar.
O Grêmio é um time a ser analisado com atenção. Tudo bem que estamos apenas no início da competição e com a tradicional "janela" tudo pode mudar de forma drástica. O próprio tricolor deve perder uma de suas maiores joias, o atacante Luan. Jogador inteligente, frio e que joga pelo time. 
Entendo que um dos grandes segredos do time gaúcho é a valorização no que é desenvolvido na base. Jogadores como Marcelo Grohe, Arthur, Ramiro, Everton, Luan e Pedro Rocha são titulares absolutos e se conhecem desde o time da base. O time precisa acreditar naquilo que "fábrica". Deve usar desse artifício para voos maiores e até se equilibrar financeiramente, uma vez que é complicado e impossível competir com o mercado estrangeiro, o que é uma pena. 
É muita das vezes melhor ter uma equipe entrosada, unida e sem nenhuma estrela do que com jogadores que não possuem uma identidade e empatia do grupo. Quantas vezes não nos deparamos com ótimas equipes no papel e na prática ficam a desejar?
Além disso é importante ter alguém não apenas capacitado, mas também com uma história para fazer a "garotada" entender o que é vestir uma camisa de peso. Esse cara hoje é Renato Gaúcho. O herói e ídolo tricolor no ano de 83 faz um excelente trabalho, acima até da expectativa dos analistas de plantão, que entendiam até então, que o tempo de "férias" ou longe das quatro linhas lhe fariam mal ou na melhor das hipóteses, o transformariam apenas num tampão. 
Ora, às vezes é melhor ter alguém com a identidade do clube e com vontade de trabalhar sem holofotes, cobranças e expectativas, do que com medalhões que insistem em não admitir a necessidade de se reinventar. 
Em tempo, o líder hoje é o Corinthians, que ao meu ver também merece aplauso por apostar na base e não investir muito em jogadores para obter o sucesso. Resta saber se a longa temporada e elenco reduzido possa custar o sucesso, espero que não, afinal, a minha torcida é para que equipes tão tradicionais em desenvolver talentos, voltem a ter seus "meninos" atuando como titulares e resgate aos clubes, nomes que se transformem em ídolos por anos. 
Um time que faz muito bem isso e há anos é o Santos. Quem sabe, o Peixe em breve não incomode ainda mais os líderes e consiga o tão sonhado título brasileiro ou da Copa do Brasil? É esperar para ver. 
Até a próxima!

O VOLEI DO BRASIL MERECE RESPEITO - Por Rodrigo Curty

E lá se foi a primeira fase da importante competição de vôlei mundial - A Liga. Assim como outras grandes seleções, o Brasil não atuou nas nove partidas com sua equipe considerada principal.
Foram três semanas de duelos e um segundo lugar conquistado, após seis vitórias e três derrotas. A melhor seleção foi a França, derrotada apenas em uma oportunidade. Com a dupla acima, estarão na próxima fase da competição, Sérvia, Estados Unidos, Rússia e Canadá. Os duelos serão disputados no Brasil, na cidade de Curitiba
Sobre a nossa seleção, apenas na última semana, o técnico Renan Dal Zotto contou com os considerados principais jogadores. A base é a do time campeão olímpico com Bernadinho. A tendência é do time evoluir, desde que se use bem a mescla, afinal, sem os "medalhões" teve importantes vitórias e quando esteve mais forte, sucumbiu contra a Argentina, por exemplo. É normal vencer e perder, resta saber como manter o equilíbrio. 
É sabido que na hora "H" a Seleção Brasileira costuma dar conta do recado. Julho está aí e a disputa contra Rússia e Canadá não deve trazer surpresas. Do outro lado estarão Estados Unidos, Sérvia e a evoluída e constante França. 
Curitiba com certeza apoiará os nossos garotos. Bruninho, Wallace, Lucão, Lucarelli, Evandro, Renan, Lipe, Thiago Blendle, Thales, Maurício Borges e etc terá a nossa torcida e apoio com essa nova fase que o vôlei atravessa.
Agora é aguardar esse tempo de preparação e ver quem pode entrar com 100% de sua capacidade técnica e física. Brasil sempre entra como favorito e é bom que se diga, que uma perda de título deverá ser entendida pelos apaixonados por esse belo esporte.
Boa sorte Brasil e até a próxima!

















segunda-feira, 19 de junho de 2017

GRÊMIO EM BUSCA DA LIDERANÇA - Por Rodrigo Curty

E a rodada de número oito do Brasileirão, série A será fechada hoje com a promessa de uma grande partida. Cruzeiro e Grêmio medirão forças no Mineirão.
Apenas para variar a rodada teve várias polêmicas e erros de arbitragem. Isso não é novidade e ficará assim até o seu término, que diga-se de passagem, infelizmente, apenas na reta final, ganhará destaque sobre quem foi mais ou menos beneficiado. 
O campeonato deve ser valorizado pelas suas equipes e ter no campeão o mérito pela conquista no campo. A preocupação deve ser pelo desempenho e não pelos erros. 
A minha torcida é para que o jogo de hoje seja espetacular em todos os sentidos. E há ingredientes de sobra. O  time da casa se vencer dará um enorme salto na tabela e terminará a rodada na sexta colocação. Já se o tricolor gaúcho vencer, esse assumirá a liderança do certame, graças ao empate do Corinthians com o Coritiba. 
É verdade que estamos apenas na oitava rodada da competição. Apesar disso, é importante avaliarmos a tabela de cada um dos considerados favoritos e também daqueles que lutam na zona de degola. Muita coisa vai mudar e pode apostar, somente dará para termos certeza do que esperar das equipes na rodada de número 23, 24.
É fato que até aqui o que vimos foram equipes sem muito investimento surpreendendo. Corinthians, Grêmio, Coritiba, Santos, Botafogo, etc, fazem uma campanha interessante. A questão é até quando conseguirão superar equipes mais inchadas e melhores, pelo menos no papel? 
Calma, longe de menosprezar a posição dessas na tabela, apenas faço a consideração que, por causa de outras competições como a Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores, que em breve voltam à ativa, as coisas provavelmente mudem de figura. 
Dos primeiros colocados hoje, entendo que apenas o Grêmio possa se manter, mesmo com o Timão sendo muito forte em casa. Para voos maiores é preciso ser forte também fora.
A equipe muito bem dirigida por Renato Gaúcho é assim, afinal joga da mesma forma dentro ou fora de casa. Tem elenco para suportar as competições. Resta saber se as lesões podem lhe custar o sucesso. Hoje a noite o time terá desfalques importantes. A Raposa também terá, mas diferente do time do sul, os comandados de Mano Menezes não conseguem embalar e ter a tão desejada regularidade. Hoje pode ser o dia, assim como viver um novo tropeço, o que não seria desastroso. Tudo é possível. O que a torcida deve se preocupar é como o time atuará e o que esperar quando joga em casa.
O fator casa sempre foi e será um grande aliado das equipes, sobretudo das mais fracas ou menos avantajadas. Essa rodada até aqui foi terrível para os mandantes e se mantiver, o torcedor do Grêmio agradecerá e torcerá para que o feito tão importante, quanto o de chegar à liderança perdure. O time sem dúvida nenhuma tem potencial para ficar por um bom tempo no primeiro lugar. Vamos aguardar.
Até a próxima!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

A TÃO ESPERADA ILHA DO URUBU - Por Rodrigo Curty

E o Flamengo finalmente estreará no que considera a sua nova casa, o Estádio Luso- Brasileiro, na Ilha do Governador. Batizado pelos torcedores de Ilha do Urubu, a expectativa é de que o "caldeirão" seja o ponto de partida para a tão esperada arrancada e confirmação de que o elenco, de fato, é um dos favoritos a levantar a taça do brasileirão. 
A tabela favorece no que diz respeito a jogos como mandante. É sabido que as equipes que conseguem usar bem a sua casa, tendem a disputar as primeiras posições até o final do certame. A sequência será fundamental para o Flamengo crescer. Dos próximos dez duelos da competição, o clube jogará seis em seu novo estádio(Ponte Preta, Chapecoense, São Paulo, Grêmio, Palmeiras e Coritiba), terá dois clássicos, Fluminense(Maracanã) e Vasco (São Januário) e saíra para visitar o Bahia e o Cruzeiro.
Mas vale e muito o passo de casa vez. Hoje o adversário será a bem montada e competente equipe da Ponte Preta, atual quinta colocada com 10 pontos. A Macaca promete ir para cima e aumentar ainda mais a crise na Gávea. 
Do lado rubro-negro a pressão é grande para uma vitória. Um novo tropeço será crucial para a permanência do técnico Zé Ricardo, que por sua vez, altera novamente a sua equipe. O treinador sacou da equipe titular, o lateral Pará, o zagueiro Juan e Willian Arão. Com exceção do zagueiro que não joga para ser poupado, devido a sequência de jogos, os outros dois saem por deficiência técnica. Os jogadores que terão a missão de darem conta do recado são: O talismã Rodinei, o contestado Rafael Vaz e Cuèllar. 
É importante que se diga que até hoje a cicatriz da precoce eliminação da Libertadores não se fechou. Por isso, mesmo se o Flamengo estivesse ganhando os seus jogos, os questionamentos continuariam. O futebol apresentado é muito aquém do esperado. O time insiste no Tic-Tac, valoriza demais a posse de bola e o "jogar" com paciência, mantém um esquema tático de "pontas" avançados  que não surtem efeito, uma vez que a saída de bola é muito lenta. É um time óbvio.
O Flamengo têm que mudar isso urgentemente. Precisa encontrar o equilíbrio entre atacar e se defender com mais objetividade. Ter mais coragem e assertividade. Ter alguém que assuma o jogo, busque a responsabilidade. Com o atual elenco, arrisco dizer que Zé Ricardo deveria ficar mais preocupado em ver seus comandados marcando o adversário no campo ofensivo do que ficar esperando por uma bola. A parte ofensiva, aliás é um problema sério. O time não tem a competência de marcar os gols quando cria as situações. É um time sem alma, apático e conivente com o momento do jogo. Isso é possível mudar a partir de hoje às 21h. Basta todos entenderem que no Flamengo se valorizam mais a entrega do que a qualidade. Mais vale ter um jogador mediano se "matando" para dar conta do recado, do que um "refinado" que mal sabe a sua função no campo.
Vamos aguardar para ver se o Flamengo finalmente engrena na competição e se a química torcida e time voltam a se entender dentro e fora das quatro linhas. A presença maciça de torcedores, a pedido do treinador apoiarão ao máximo do início ao fim, mas bastará um erro para o fator casa se transformar no "inferno" rubro-negro. Faça a sua aposta.
Até a próxima!

quarta-feira, 7 de junho de 2017

RODADA TERRÍVEL PARA OS CARIOCAS - Por Rodrigo Curty

A quinta rodada do brasileirão foi péssima para as equipes cariocas. O Fluminense empatou em casa na abertura da rodada contra o Atlético PR. Já Botafogo, Vasco e Flamengo foram derrotados por Santos, Corinthians e Sport, respectivamente. Vamos as análises:
O Glorioso encarou o Santos, que ainda não contou com o novo técnico Levir Culpi. A partida no Pacaembu foi bem equilibrada. O Fogão foi mais organizado que o time santista, mas como já é sabido, no futebol vale na maioria das vezes a competência, e isso mais uma vez faltou aos comandados de Jair Ventura. Se Pimpão perdeu uma ótima chance na cara de Vanderlei, aos 50', de falta, o lateral-direito Victor Ferraz, aproveitou da falha do goleiro Helton Leite e garantiu os três pontos para a equipe da Vila. O resultado colocou o Peixe na 12ª colocação com seis pontos. Levir terá muito trabalho para encontrar o bom futebol. Para o Fogão, a hora é de acertar os erros infantis para não viver de "se" lá na frente.
Em São Januário lotado, o líder da competição, o Corinthians, mesmo desfalcado foi "gigante" contra o Vasco, que apesar do placar de 5x2 teve muitas chances para vencer a partida. Aqui mais uma vez a competência fez a diferença. O trabalho bem feito, planejado dá frutos. A prova disso são os números do líder na temporada. Essa foi 18ª partida de invencibilidade. Fora de casa, o clube chegou a 17 partidas, com 11 vitórias, cinco empates e só uma derrota. Fábio Carille faz um belo trabalho no comando do Timão. O time é simples, barato e eficiente. E isso ajuda em outros aspectos como a sorte e estrela, afinal Clayton entrou aos 36' da etapa final e marcou dois gols. Resta saber até quando a eficiência, estrela e competência irá durar.
Já o Flamengo decepcionou mais uma vez o seu torcedor. O amor está conturbado. O técnico Zé Ricardo não é nenhuma unanimidade, principalmente após a eliminação na Libertadores e rendimento nesse início de brasileirão. Não sou a favor de mudanças, porém o clima está muito ruim. 
O goleiro Muralha idem, falhou novamente. E não é só ele. A equipe que se reforçou do ótimo Everton Ribeiro está devendo. Apesar de criar oportunidades nos jogos, a falta de empenho, lucidez, alternativas táticas e coragem fazem do clube da Gávea uma incógnita. Se o treinador trabalha tanto a questão da meritocracia, essa seria mais do que a hora de mudar o time. Muralha, Pará, Réver e Willian Arão caíram demais de rendimento. Porque não se aproveitar do gigante elenco? Deveria ser dada a oportunidade para Thiago (apesar que deveria ter um goleiro experiente na titularidade) Rodinei, Cuèllar, Mancuello, Vinicius Júnior e Vizeu começarem como titulares e não entrando para tentar uma salvação.
O Sport Recife foi mais eficiente e se aproveitou dos erros infantis para sair vitorioso pela primeira vez no comando de Vanderlei Luxemburgo. O time pernambucano arriscou mais, chutou mais e se impôs.  Mereceu a vitória.
O rubro-negro carioca precisa acreditar mais em seu elenco. Confiar mais no chute, na troca de passes e principalmente na raça nos momentos adversos, como é a sua história. Algo me diz que o elenco está enciumado. Está mais do que na hora de Donatti e Berrío retornarem e porque não Gabriel. Com ausências de Trauco e Guerrero, por que não utilizar Everton na lateral esquerda? O time poderia testar um novo esquema ou um 3-5-2 ou o básico 4-4-2 com Ederson mais centralizado ao lado de Diego? Está nítida a falta de criação e confusão no setor de meio-campo. O jogo contra o Avaí ganha proporções e pode ser a despedida de alguns jogadores e comissão técnica. Arrisco dizer que tem retorno à vista - Dorival Junior deve ser um nome, será? É aguardar para ver.
Até a próxima!